18 novembro 2011

Espiral

Meu passado
ora me chicoteia as costas
e sangro,
lanhada e roxa

ora me morde a nuca
docemente
e me encoxa.

Clube da Música

2 comentários:

  1. Do ventre do passado rasgado, Flá a-flor-a.

    ResponderExcluir
  2. “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, ou por sua
    origem, ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se elas podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o oposto. A bondade humana é uma chama que pode ser oculta, jamais extinta."

    (NELSON MANDELA)

    ResponderExcluir